Golpe de calor: saiba como proteger os seus animais

 Em Animais de estimação

No verão, e com a subida da temperatura, podem acontecer situações imprevistas.  Um golpe de calor pode causar desmaios, convulsões e até quadros mais graves. Neste artigo dizemos-lhe o que é, os sinais de alerta e como como deve proteger os seus animais do calor intenso.

A temperatura corporal média dos cães e dos gatos varia geralmente entre os 37,8 e os 39,2º C.

Quando a temperatura corporal aumenta de forma excessiva, estamos perante um quadro de Hipertermia.

Esta condição médica pode acontecer por:

  • Exposição a agentes pirogénicos endógenos, neste caso este tipo de Hipertermia corresponde à febre;
  • Produção de temperatura corporal excessiva (p.e. no caso de convulsão prolongada ou de certos tipos de intoxicação);
  • Temperatura ambiental excessiva;
  • Incapacidade em reduzir a temperatura corporal (p.e. no caso de animais braquicéfalos).

O Golpe de calor ocorre quando os mecanismos de termorregulação corporal não compensam a temperatura externa excessiva, levando a que o animal apresente temperaturas iguais ou superiores a 40ºC. Este tipo de hipertermia corresponde a uma urgência médica e pode conduzir a falência multi-orgânica.

Os animais que estão em maior risco são:

  • Animais geriátricos e pediátricos;
  • Cães são mais predispostos do que os gatos;
  • Raças braquicéfalas (p.e. Bulldog, Boxer, Pug, Boston Terrier Persa,,…);
  • Animais com excesso de peso;
  • Animais com patologia cardíaca e/ou respiratória;
  • Animais de pêlo escuro e/ou comprido expostos directamente ao sol.

Sinais de alerta:

  • Temperatura rectal ≥ 40ºC;
  • Estado mental alterado, normalmente animal mais prostrado;
  • Mucosas hiperémicas (muito vermelhas);
  • Aumento do esforço respiratório (arfar excessivo, ruído respiratório mais audível, aumento da frequência respiratória);

O que fazer?

  • Procurar imediatamente assistência veterinária!
  • Colocar animal em local fresco e arejado e tentar mantê-lo calmo durante a viagem até ao Hospital;
  • Oferecer água fresca sem forçar;
  • Colocar toalhas molhadas sobre o corpo;

O prognóstico depende bastante do estado clínico do animal no momento em que é hospitalizado. Os animais que recuperam podem não apresentar efeitos secundários a longo prazo, mas são animais com maior risco de futuro golpe de calor.

A prevenção é a chave!

  • Evitar horas de maior calor;
  • Evitar exercício físico prolongado em dias quentes ou caso animal seja de grupo de risco. Respeitar sempre o cansaço do animal;
  • Não deixar o animal em espaços quentes, fechados e mal ventilados (a temperatura dentro de um carro pode aumentar muito!);
  • Ter sempre água disponível, mesmo durante os passeios;
  • Caso animal tenha pêlo muito denso, ponderar tosquia nas alturas mais quentes do ano.

 

 

Artigos recentes

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.