A quarentena também afeta os nossos animais?

 In Animais de estimação

Embora muitas pessoas possam ainda não ter associado, a situação atual de confinamento e isolamento social também tem causado stress nos nossos animais de companhia.

A falta de rotinas que estamos a viver dentro de casa provoca nos nossos cães uma incapacidade de prever o que vai acontecer, alterando a sua organização interna e gerando falta de segurança e de confiança.

Até poderíamos pensar que, por passarmos mais tempo em casa isso seria bom para os nossos pets, mas, de facto, não é o que acontece.

Mesmo estando mais horas acompanhados, o facto de muitos de nós trabalharmos em casa leva a que lhes prestemos menos atenção: as crianças estão em casa, os animais dormem e descansam menos por causa do barulho, as horas do passeio foram alteradas. Tudo isto gera stress nos nossos animais.

Como atua ou stress?

Antes de lhe darmos algumas dicas para ajudar a minimizar o stress do seu animal nesse período de confinamento, é importante esclarecer o que é o stress e como afeta os nossos cães.

O stress é um mecanismo de sobrevivência que prepara um indivíduo para agir antes de possíveis mudanças que possam aparecer no ambiente.

Esse mecanismo é complexo e inclui respostas fisiológicas e comportamentais (neurológicas e hormonais), permitindo que o corpo responda da maneira mais adaptada possível.

Quando é que se pode tornar um problema?

Isto acontece quando o nosso cão é repetidamente exposto a vários estímulos stressantes seguidos levando a que o organismo não seja capaz de se recuperar, retornando ao seu estado normal/adaptativo onde readquire o equilíbrio.

Esse fenómeno é denominado de angústia, também conhecido como “mau stress”, causando um perigo para o bem-estar e para a saúde. Como consequência, a exposição prolongada ao stress origina mudanças no estado emocional que levam a problemas comportamentais.

Que mudanças podemos notar?

Cada indivíduo expressa as suas emoções de maneira diferente. Deixamos aqui alguns comportamentos que podem ser observados:

  • Comportamentos compulsivos: como lamber as patas e outras áreas do corpo, tentar perseguir a cauda, mover-se erraticamente pela casa.
  • Comportamentos associados ao tédio e à falta de estímulo: ladrar para chamar a atenção, destruir e morder objetos … uma consequência do tédio, de modo a canalizar a sua energia que não pode ser gasta de outra forma.
  • Outros comportamentos não específicos: ofegar e salivar, sudorese das almofadinhas das patas, mudanças nos hábitos alimentares e de higiene, entre outras coisas

Como podemos ajudá-lo?

Vamos dar um pequeno conselho para tentar melhorar o comportamento do seu animal durante os dias de confinamento.

1- Manutenção das rotinas

A primeira coisa que devemos fazer é manter a rotina o mais semelhante possível ao que costumava ser. Isto é, manter os mesmos horários para as refeições, passeios, higiene e descanso.

Quando nos referimos aos passeios, para não serem aborrecidos para o nosso animal, devemos deixá-lo cheirar o território com tempo para que obtenha informações do ambiente, uma vez que o ajudará a relaxar e promove a estimulação mental. Também recomendamos o uso de uma trela extensível para permitir que gastem um pouco mais de energia, se necessário.

2- Fale com eles

Para os nossos animais é muito importante sentirem-se seguros, por isso a previsibilidade é o mote para lhes darmos estabilidade. Deste modo, descansam e relaxam. Há sinais que devem ser usados, por exemplo, no início e no final das interações com eles (festinhas, jogos, etc…) Sinais como: Vamos brincar! Vamos passear! Já acabou!

Como as caminhadas podem não ser suficientes para os manter relaxados, devemos ajudá-los a gastar essa energia, fazendo com eles jogos de estímulo que os ajudem a cansar, reduzindo os seus níveis de stress e de ansiedade.

Em casa

Existem variados jogos à venda no mercado que ajudam a promover relaxamento e diversão ao seu cão, estimulando o olfato e o paladar. Por isso, quase todos têm um denominador comum: comida.

Se não tem hipótese de comprar um jogo novo para o seu animal, existe uma técnica divertida e infalível de o animar: esconder biscoitos em certas zonas da casa. Também pode pesquisar na internet por “jogos com cães dentro de casa”. Há imensas dicas e tutoriais.

Feromonas

Existem no mercado alguns calmantes inócuos, por exemplo, em spray, que têm por base feromonas: substâncias segregadas pelas mães para que os filhotes sejam envolvidos num estado de tranquilidade, segurança e calma. Se, com tudo isto, o seu animal se mostra ansioso, contacte o seu veterinário.

 

Recent Posts

Leave a Comment

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Como cuidar do seu animal em época de Covid-19Calor, pulgas, carraças e mosquitos