Parasitas em gatos

Existem dois grandes grupos de parasitas que poderão escolher o seu gato como hospedeiro: parasitas internos e parasitas externos. Entre os parasitas internos, destacam-se os parasitas gastrointestinais que vivem desde o estômago até ao intestino grosso – entre eles as lombrigas e ténias, visíveis a olho nu, ou a giardia e as coccídias, apenas visíveis ao microscópio ótico.

parasitas_em_gatos

Como ocorre a transmissão de parasitas em gatos?

Quase todos os parasitas referidos são facilmente transmissíveis entre animais e também ao Homem, o que os torna zoonoses importantes. Para tal acontecer, basta entrar em contacto com locais contaminados com os ovos presentes nas fezes dos animais parasitados, num jardim público, por exemplo; ou apenas entrar em contacto com o animal. Como com qualquer outra doença há que ter especial atenção às crianças, idosos e pessoas com algum tipo de imunodepressão.

Alguns destes parasitas podem ser transmitidos aos gatinhos ainda in útero, ou durante o aleitamento, caso as mães se encontrem parasitadas. Os sinais clínicos mais habituais de uma parasitose num gatinho são: vómito, diarreia, prostração, crescimento lento e aumento de volume abdominal.

Gatos adultos também poderão ser afetados: neste caso, a parasitose dá-se por ingestão de carne crua, seja de porco, aves, vaca ou até de pequenos roedores que cacem, e ainda por contacto com fezes contaminadas de outros animais que coabitem com eles ou em locais públicos. Os sintomas de parasitas em adultos passam, normalmente, mais despercebidos, sendo o vómito, a diarreia, a perda de peso e a queda de pelo/pelagem baça os mais comuns.

Importância da desparasitação

Existem variadíssimos planos de desparasitação de gatos e o seu veterinário ajudá-lo-á a escolher o mais indicado para o seu animal. Deve, por isso, apostar-se numa desparasitação interna e externa regular e adaptada a cada animal. E caso haja mais do que um animal por casa, esta desparasitação deve ser feita em simultâneo a todos os animais. Deve ainda evitar alimentar o animal de carne crua e, de preferência, tentar evitar que os gatos possam pôr em prática os seus instintos de caçador, de modo a não ingerirem roedores ou aves. Uma limpeza regular das liteiras e uma correta desinfeção do local é também de extrema importância.

Se tiver alguma dúvida sobre esta temática, não hesite em contactar o Hospital Veterinário através do e-mail geral@veterinario.pt ou do telefone +351 21 3972 997.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *