O que é a esgana?

A Esgana é um tema que tem sido bastante falado nos últimos dias. O Hospital Veterinário De São Bento explica-lhe tudo sobre a esgana para que a conheça e esteja atento aos cuidados necessários.

A esgana é uma doença contagiosa que inicialmente afeta os pulmões, o trato intestinal e o sistema nervoso. Esta é a segunda doença infeciosa com maior taxa de mortalidade nos cães.

Os seres humanos não são infetados com este vírus, porém, podem ser transmissores do vírus através de roupas, luvas ou mãos contagiadas.

O que é a esgana?

Como é feito o contágio da esgana?

O contágio é extremamente fácil de acontecer. O contacto direto entre cães que sofrem deste vírus é a principal fonte. O vírus também pode ser transmitido à distância através de espirros, por exemplo. Esta é a razão pela qual animais com este vírus devem estar completamente isolados.

Quais são os sintomas da esgana canina?

A febre é o primeiro sintoma, sendo que esta pode passar despercebida. Na segunda semana de infeção do vírus, o sistema imunitário, os seios nasais e paranasais, os olhos, os pulmões e o trato intestinal são afetados por bactérias que provocam graves lesões, dando origem a corrimento nasal e ocular, pneumonia, diarreia ou perda de apetite.

A maioria dos cães com esgana acaba por ser afetado com lesões no cérebro e na medula espinal, pois mesmo que haja tratamento, se não for feito nos primeiros dias é bastante difícil de ficar curado.

Cerca de metade dos cães também desenvolve sintomatologia nervosa, quando o vírus já afetou o sistema nervoso. Esta fase provoca convulsões, ataques epiléticos, paralisias, fraqueza dos membros e perda do sentido de orientação.

O diagnóstico da esgana

Infelizmente é uma doença que nem sempre tem os mesmos sintomas de alerta e as fases dela podem variar. O diagnóstico é feito através de análises.

Como é feito o tratamento?

Ainda não é possível tratar eficazmente a esgana. O tratamento possível é feito para combater efeitos secundários deixados pelo vírus e controlar sintomas causados pelas bactérias.

Os antibióticos nem sempre protegem o sistema nervoso de ser atingido.

Apesar de o cenário ser mau, ainda existem casos de sucesso em que a esgana é tratada numa fase muito inicial.

E a prevenção?

A vacinação às 6 semanas é a única forma eficaz de prevenção. Os reforços devem ser dados passadas 3 a 4 semanas. Até os animais serem vacinados, estes devem estar protegidos de cães não vacinados.

Se notar sintomas de esgana no seu cão ou se tiver ficado qualquer questão acerca da doença, já sabe que estamos disponíveis para o ajudar. Contacte o Hospital Veterinário através do email geral@veterinario.pt ou do número de telefone +351 21 3972 997.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *