O meu gato gosta mesmo de mim…ou só quer comida?

Será que os gatos gostam da companhia dos donos ou “usam-nos” para funções, como abrir portas e receber guloseimas?

gato_2Sobre os cães todos nós temos (quase) a certeza de que desfrutam da nossa companhia: querem atenção quando chegamos a casa, de dar longos passeios em conjunto e de mimo à noite no sofá. Mas sobre os felinos permanecem ainda muitas dúvidas…em especial junto daqueles que não desfrutam da companhia destes animais tão astuciosos. Dizem que são distantes, indiferentes e menos interessados no carinho e na aprovação dos donos.

Será esta reputação verdadeira? Um novo estudo sugere que o contato humano é mais importante para os gatos do que se questionava, embora, possivelmente, os donos de gatos já soubessem disso…

Este estudo norte-americano, feito por especialistas das áreas de psicologia e de ciências animais da Universidade de Oregon e publicado na Behavioral Processes (http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0376635716303424) dá nota que os gatos não só gostam dos humanos como, imaginem… gostam mais da nossa companhia do que de comida ou de brincadeira.

Na investigação, os cientistas recrutaram 38 animais, metade vindos de abrigos de animais, a outra metade vinda de casas. Foram todos isolados. Isso significa que os peludos ficaram, durante 2 horas e meia, afastados de qualquer tipo de estímulo: visual/social, olfativo, gustativo(comida) ou auditivo (brinquedos).

Depois disso, os animais foram postos numa uma sala dividida em quatro partes, cada uma destas partes tinha algo para chamar a atenção do animal. Num canto havia um brinquedo para o bichano; noutra, um lenço com um cheiro que o patudo gosta; numa terceira parte havia comida, e, noutra ponta, um humano sentado. Observaram, então, o comportamento dos gatinhos durante 3 minutos.

Estudos anteriores já tinham explorado as preferências dos gatos em relação aos alimentos, estímulos visuais e odores, avaliando o impacto que estes poderiam ter sobre o comportamento dos animais. Mas este novo estudo foi o primeiro a também investigar as interações dos gatos com os seres humanos, como um comportamento que poderia afetar a qualidade de vida dos felinos.

Durante as sessões, os investigadores observaram como os gatos estavam envolvidos e quanto tempo dedicavam às diferentes atividades. Em geral, não houve diferença significativa de comportamento entre os gatos vindos de abrigos e os de casa. Os lenços perfumados fascinavam um gato. Quatro gatos escolheram os brinquedos primeiro e 14 gatos foram mais atraídos para os alimentos. Mas 19 dos gatos, 50 por cento, escolheram as pessoas, gastando 65 por cento do tempo da sessão final desfrutando da companhia dos seres humanos.

A ideia do estudo é ajudar a entender melhor o comportamento dos felinos de companhia, para que seja possível avançar nos métodos de treino de gatos e criar ambientes mais amigáveis para estes peludos felinos. “A crença de que os gatos não são muito sociáveis ou possíveis de treinar é muito comum. Mas essa falta de ligação talvez seja, em parte, devida à falta de conhecimento sobre que tipo de estímulos preferem e o que tem mais impacto na maioria destes animais”, lê-se no comentário que acompanha o estudo.

O estudo ainda apontou outras dicas sobre as preferências dos felinos. Por exemplo, que estes patudos preferem peixe a carne e brinquedos que se mexem sozinhos a objetos estáticos.

Eis os resultados mais relevantes do estudo (do que gostam mais os gatos):

Social

Vocalização (falar com o gato);

Caricias;

Brincar com o dono (favorito);

Comida

Galinha;

Atum (favorito);

Guloseimas de galinha;

Odores

Gerbilo (potencial presa);

Erva gateira (favorito);

Cheiro desconhecido;

Brinquedos

Brinquedo com movimento (favorito);

Rato;

Brinquedo de penas

One thought on “O meu gato gosta mesmo de mim…ou só quer comida?

  1. Olga Sousa diz:

    Adorei o vosso comentário em relação ao gato (animal) e concordo com tudo, pois este patudo é tudo isto e muito mais é um animal com uma personalidade muito forte, independente mas metódico e organizado, especificando melhor, consegui por método diário que todos os dias á mesma hora me acorde sem relógio e ele sabe que depois de comer vai para junto dos brinquedos para eu brincar com ele durante uns 15 minutos antes de eu ir trabalhar.
    Ele sabe quais são os dias da semana que faz isto, porque nos outros dias comporta-se de maneira diferente tal como nós (família)que estamos mais tempo na sua companhia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *