As 4 doenças comuns em pets e humanos

Diabetes, hipertiroidismo, epilepsia são algumas das doenças que acometem os humanos. Mas estas mesmas doenças atingem, de igual modo, os seus animais de estimação. Por isso, se o seu cão ou gato está a beber mais água, faz mais xixi e está a perder peso, esteja alerta, estes podem ser sintomas de alguma patologia.

cão_doente2

Diabetes

Intimamente relacionada com falta de exercício físico e hábitos alimentares pouco adequados, a diabetes tipo 2 é uma verdadeira epidemia em humanos. Mas, ao que parece, a tendência parece ser a mesma na população felina.

De acordo com dados divulgados pela BBC, que citam especialistas do Royal Veterinary College, no Reino Unido, estima-se que um em cada 200 gatos seja portador de diabetes tipo 2, um aumento considerável se comparado com há três décadas, quando havia um caso de diabetes a cada 900 gatos.

E a causa será diferente da que provoca a doença em humanos? Não parece. O sedentarismo é uma possível explicação. Apesar de domesticados, os gatos são caçadores por natureza. Mesmo bem alimentados, se viverem fora de casa, estes animais continuam a ter gosto pela corrida e pela caça. No entanto, grande parte destes felinos vive em apartamentos, permanecendo muito tempo quietos e sobrealimentados.

Apesar disso, muitos gatos com excesso de peso e obesidade não desenvolvem a doença. E, por outro lado, em alguns casos, e tal como nos humanos, a doença também pode ser desencadeada por factores genéticos e não pelo estilo de vida.

Nos cães, a prevalência da diabetes tipo 2 é menor. Cerca de três em cada mil têm diabetes. Mas, e se os cães não apresentam uma tendência para o tipo 2 da doença, ao invés, têm uma maior tendência para a diabetes tipo 1, quando não existe insulina suficiente para metabolizar o açúcar do organismo

Os sintomas mais comuns da doença nos animais (cães, gatos, macacos, coelhos e até ratos) é sede constante, micção frequente e perda de peso. O tratamento pode incluir injeções de insulina e, no caso dos gatos, o emagrecimento pode ajudar.

Epilepsia

Cerca de um em cada 100 cães tem epilepsia. Os gatos também podem sofrer desta condição, mas a incidência é menor. A epilepsia pode causar convulsões (a manifestação mais comum) mas, em alguns casos, os sintomas não são tão fáceis de perceber. O tratamento envolve medicação antiepiléptica, mas que pode não funcionar em todos os animais.

Problemas de tiróide

O hipertiroidismo  uma condição na qual a glândula tireoide é hiperativa e produz excesso de hormonas tiroideias. Esta é uma patologia que afecta mais os felinos. Alguns sintomas da doença são: hiperatividade, inquietude e perda de peso, apesar do aumento de apetite. Uma das formas de tratamento é administrar injeções de iodo radioativo. O iodo concentra-se na glândula tiroideia e emite radiação, aniquilando as células super ativas.

O problema é que, nesse tratamento, o gato precisa ser mantido isolado durante várias semanas, já que pode emitir radiação durante algum tempo.

Já os cães tendem a sofrer o problema oposto. Cerca de um em cada 1000 apresenta hipotireoidismo ou seja, a glândula é pouco ativa. Alguns sinais da doença nos cães são aumento de peso, preguiça e lentidão. E, tal como em humanos, uma terapia de substituição hormonal pode ajudar.

Vírus da Imunodeficiência Felina

O Vírus da Imunodeficiência Felina (FIV, na sigla em inglês) causa sintomas semelhantes aos do VIH, o vírus da imunodeficiência humana. Este vírus ataca o sistema imunitário dos gatos, deixando o organismo deprimido e incapaz de combater infecções. Nos EUA, entre 1,5% e 3% de gatos são infectados com FIV. Alguns dos sintomas são: febres persistentes, pelagem quebradiça, perda de apetite, inflamações nas gengivas, infecções crónicas na pele, olhos, bexiga e vias aéreas superiores.

Para descanso dos nossos leitores, embora a FIV e o HIV tenham semelhanças, nenhuma das duas é passada interespécies.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *